30 de jul de 2011

O MÊS DE AGOSTO

O mês de agosto é um mês muito especial para nós.

Foi no dia 1º de agosto de 1907 que B-P realizou o 1º acampamento da história do Escotismo no mundo.



Foi no dia 12 de agosto de 2004 que  demos início, efetivamente, ao Escotismo no Instituto Cisne, com a criação da Tropa Escoteira Cisne.



Foi no dia 26 de agosto de 2005 que realizamos o 1º ACAMPACISNE, o primeiro acampamento da Tropa Cisne. Foi nossa primeira experiência com esses jovens escoteiros.





Foi no dia 26 de agosto de 2009 que fundamos nosso querido Grupo Escoteiro.

 


Além disso, também aconteceu em agosto:

- 25 de agosto de 1803 - Nascimento de Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias. Em  homenagem à ele, atualmente no dia 25 de agosto comemoramos o Dia do Soldado;


- 29 de agosto de 1825 - D. João VI, rei de Portugal, assina um tratado que reconhece a independência do Brasil, proclamada em 1822 por D. Pedro I;



- 03 de agosto de 1907 - Nascimento do General Ernesto Geisel - Presidente do Brasil que assumiu o poder em março de 1974 e teve seu governo marcado pelo processo de abertura lenta, gradual e segura à Democracia;



- 09 de agosto de 1992 - A seleção brasileira de vôlei conquista uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona. Foi a primeira vez que os brasileiros subiram ao pódio em um esporte coletivo durante uma Olimpíada;



E será no dia 12 de agosto de 2011 a comemoração do Jubileu de Prata do Instituto Cisne.


Vamos todos nos encontrar lá. OK?

DE VOLTA ÀS ATIVIDADES

Depois de uma curto período de férias, ou melhor, recesso, voltamos às atividades normais. Na última quarta-feira, 27, retomamos, mas, como normalmente, ao retornar de férias os jovens precisam "pegar no tranco", nossas atividades foram bem "ligths" e foram realizadas de forma conjunta entre escoteiros e seniores, para integrar e não deixar ninguém esquecer que, apesar de existir duas seções, somos todos irmãos escoteiros e fazemos parte da mesma família Cisne.
Agora, reiniciando o semestre, muitas atividades e aventuras estão para acontecer. Certamente será um semestre muito alegre e realizador.
Bom trabalho a todos!

SEMPRE ALERTA!



15 de jul de 2011

FIM DE SEMESTRE

Nesta última quarta-feira (13Jul) encerramos as atividades do semestre. Foi uma reunião bastante tranquila e todas as atividades foram realizadas de forma integrada entre as duas seções e o principal ponto trabalhado foi Trabalho em Equipe.

Ao longo deste semestre nossos jovens aprenderam diversas coisas, participaram de inúmeras atividades, interagiram, experimentaram, discutiram... Algumas vezes, "aprontaram", e, em outras, até brigaram, levaram bronca, conversaram, fizeram amigos, conheceram algumas coisas novas e relembraram outras não tão novas... Ajudaram, se esforçaram, se decepcionaram, enfrentaram dificuldades, começaram de novo... Tivemos uma Passagem de Ramo. Um Projeto foi iniciado e implantado. Conseguimos realizar muitas coisas! E, ainda que outras tenham ficado pra depois, podemos dizer, com certeza e com grande satisfação:

FOI MUUUIITO BOOOOMMM!!!


10 de jul de 2011

A BANDEIRA PAULISTA

Você sabia que a Bandeira paulista, cujo modelo se originou da proposta do escritor e jornalista Júlio Ribeiro, em 1888, pouco após a Abolição da Escravatura, só foi oficializada mais de meio-século depois? A história foi assim: em 16 de julho de 1888, Júlio Ribeiro, fundador do jornal "O Rebate", que fazia campanha pela República, lançou nas páginas de seu periódico a proposta de criação da bandeira de São Paulo. Ela foi descrita assim: "(a bandeira) simboliza de modo perfeito a gênese do povo brasileiro, as três raças de que ela se compõe - branca, preta e vermelha. As quatro estrelas a rodear um globo, em que se vê o perfil geográfico do país, representam o Cruzeiro do Sul, a constelação indicadora da nossa latitude astral ... Assim, pois, erga-se firme, palpite glorioso o Alvo-Negro Pendão do Cruzeiro!!!"



Mas, foi às vésperas do Movimento Constitucionalista de 1932 que ela foi adotada como símbolo dos Paulistas. No entanto, Getúlio Vargas, durante o Estado Novo, suspendeu o uso dos símbolos nacionais, incluindo a bandeira paulista, que só seria oficializada em 27 de novembro de 1946, sob o Decreto-lei 16.349 da Constituição Federal, que devolve aos Estados e municípios o direito de cultivar símbolos próprios.





Ao contrário do que o governo da época "plantou" na cabeça do povo, o Movimento Constitucionalista não era um movimento separatista, São Paulo não queria se separar do resto do país e tornar-se uma nação independente, mas, tão somente, queria liberdade, e lutava não apenas por São Paulo, mas, pelo Brasil.

Dessa forma, toda a heráldica da bandeira idealizada por Júlio Ribeiro foi ao encontro dos ideais constitucionalistas do Movimento conhecido como M.M.D.C. E assim, a bandeira ganhou um novo significado, talvez não oficial, mas que traduzia os ideais e o espírito combativo dos paulistas:

"DIAS E NOITES (listras brancas e pretas) OS PAULISTAS DEFENDEM (círculo branco) OS QUATRO CANTOS (quatro estrelas) DO BRASIL (mapa ao centro do círculo - mostra que o movimento era pelo Brasil), MESMO COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA (retângulo vermelho - sangue)"



Outra prova de que o Movimento de 32 era pelo Brasil é o Brasão de Armas do Estado de São Paulo, que foi instituído em 1932 pelo Decreto nº 5.656, e criado pelo pintor Wasth Rodrigues, que traz em um listel abaixo do escudo o dístico "PRO BRASILIA FIANT EXIMIA", que, em Latim, significa "FAÇAM-SE EM PROL DO BRASIL AS MELHORES COISAS".



3 de jul de 2011

O ESCOTEIRO HERÓI DE 32

No próximo final de semana, no dia 9 de julho, será comemorado o aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932. O que pouca gente sabe é que um pequeno escoteiro morreu a serviço do Exército Constitucionalista.

ALDO CHIORATO,
 9 anos de idade, e
scoteiro 
e aluno do Colégio Orozimbo Maia, da cidade de Campinas.

Necessitando o Comando do Exército Constitucionalista MMDC, acantonado em dependências da Estação da Paulista, convidou-o para a função de mensageiro secreto entre o Comando e as Unidades Militares sediadas em vários locais da cidade de Campinas. E assim passou a cumprir sua missão fazendo o melhor possível para cumprir seus deveres para com a Pátria.
       
Aconteceu, porém, que numa de suas idas e vindas, foi mortalmente ferido por um avião das forças leais à ditadura de Getúlio Vargas.

Em plena agitação de uma guerra civil, o menino ALDO CHIORATO foi sepultado no Cemitério da cidade, sem qualquer manifestação oficial.

Algumas décadas depois, o fato chegou ao conhecimento da Diretoria da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, que, através da Comissão de Sindicância, constatou que o menor ALDO CHIORATO, no dia em que foi morto, estava a serviço do Exército Constitucionalista MMDC, nas funções de mensageiro. Isto bastou para que a Sociedade MMDC reconhecesse o menino mensageiro militar, como herói da Revolução Constitucionalista de 1932.

Mausoléu aos Heróis de 32 no Ibirapuera 
Em 04/07/1966, exumados no Cemitério de Campinas, os despojos do menino ALDO CHIORATO foram levados em cortejo para a Câmara Municipal da cidade, que convocou sessão solene para a primeira homenagem ao menino herói de 32. A urna contendo os seus restos mortais permaneceu em vigília na Câmara Municipal até o dia seguinte, quando foi levada em cortejo por Diretores da Sociedade MMDC e ex-combatentes campineiros até o Mausoléu do Ibirapuera,em São Paulo, juntando-se a outros heróis que foram imortalizados no Panteon de 32, no mesmo dia.

O pequeno grande herói ALDO CHIORATO recebeu as honras militares e religiosas como ex-combatente de 32.


Em fevereiro de 1997 na cidade de Taubaté foi fundado o Grupo Escoteiro que leva o nome do escoteiro herói de 32, o 219º/SP - GRUPO ESCOTEIRO ALDO CHIORATO.